Banner Haras Regina Topo
05 Fev 2018 | 23:34:29

12.844 vezes, Jorge Ricardo!

Ídolo do esporte brasileiro, Jorge Ricardo iguala recorde de Russell Baze e leva fãs às lágrimas na jornada noturna de segunda-feira, no Jockey Club Brasileiro.

Ricardinho vibra com a vitória de Jubiléia para delírio dos fãs ao redor do mundo

Imagem: Marília Lemos

Se no domingo Jorge Ricardo desembarcou no Rio de Janeiro em busca de outro feito histórico, em sua mítica carreira, o ídolo das rédeas atingiu, nesta segunda-feira (5), o tão almejado objetivo. Para delírio dos turfistas presentes à jornada noturna do Jockey Club Brasileiro, bem como daqueles que acompanhavam o páreo à distância, Ricardinho venceu a sexta prova da programação, com Jubiléia, para conquistar a 12.884ª vitória e igualar, assim, o recorde mundial detido por Russell Baze.

No melhor estilo Jorge Ricardo, a corrida foi decidida, pelo piloto, ainda na curva. Tomando a primeira colocação, Ricardo não permitiu que Jubiléia diminuísse o ritmo, em que pese acionar na dianteira. No tiro direto, Forewoman (Drosselmeyer) foi quem mais se aproximou de Jubiléia. Esta, no entanto, resistiu aos avanços da adversária, para sacramentar a vitória logo na altura dos 200 finais.

Em pé nos estribos, Ricardo vibrou com o êxito da crioula do Haras Kigrandi, que pertence ao Haras Sweet Carol. Filha de Rock of Gibraltar e Ursa Point (Nugget Point), Jubiléia é treinada por Adélcio Menegolo e conquistou a primeira vitória da campanha ao percorrer os 1.300m na areia (houve mudança de raia) em 1:22.08.

Depois de uma foto da vitória extremamente concorrida – com direito à presença, inclusive, de outros jóqueis que celebraram a conquista do colega de profissão – Ricardo foi premiado com uma placa, na tribuna de honra do Jockey Club Brasileiro. O jóquei recebeu, igualmente, uma camisa do Botafogo, time de coração, com a inscrição do número 12.844. Ladeado pela mãe, filhos e esposa, Ricardo agradeceu a todos que lhe proporcionaram a igualdade do recorde e dedicou a conquista, bastante emocionado, ao pai, Antônio Ricardo, falecido em 2010.

Desde Taim, que rendeu a Ricardinho a primeira vitória, em 1976, até Jubiléia, o jóquei protagonizou trajetória talhada pelas vitórias e números improváveis. Ganhador de 24 estatísticas consecutivas no Jockey Club Brasileiro, o homem das inumeráveis vitórias, ao se transferir para a Argentina, em 2006, emendou outros 4 títulos entre os jóqueis, no país vizinho. Tendo emprestado seu dom a centenas de proprietários e profissionais, ao longo dos anos, Ricardo também rendeu toque especial à montaria de emblemáticos animais. Dentre eles, seu eterno companheiro, Much Better, com quem venceu o Grandes Prêmios Brasil (gr.I), São Paulo (gr.I), Carlos Pellegrini (gr.I), por duas vezes o Latinoamericano (gr.I) e, de quebra, se tornou o primeiro jóquei brasileiro a atuar numa edição do Prix l’Arc de Triomphe (gr.I).

Salve, Jorge Ricardo!

Mais notícias

Criação: tendência nas corridas com obstáculos, Soldier of Fortune lidera número de coberturas na Europa em 2017

Com passagem pelo Brasil, em 2013, filho de Galileo cobriu 352 éguas na temporada.

Ler na íntegra

De ponta a ponta, Olympic Geneve prevalece na homenagem a Cirne Lima

Corredora do Haras Regina conquistou batismo clássico.

Ler na íntegra

Deep End é confirmado no GP São Paulo 2017

Filho de Wild Event será conduzido por Francisco Leandro

Ler na íntegra