30 Mar 2017 | 21:21:49

Especial Leilão da Criação Nacional: Stud Chesapeake


Localizado em Tijucas do Sul/PR, o Stud Chesapeake opera há 15 anos

Imagem: Luiz Melão

Nas próximas semanas os leitores do site da ABCPCC/Stud Book Brasileiro conhecerão um pouco mais sobre os criadores que participarão do Leilão da Criação Nacional 2017. Uma série de reportagens especiais, contando um bocado da história de cada inscritor no turfe, será apresentada até a véspera do evento. E a primeira reportagem da série "acontece" em Tijucas do Sul, no Paraná, com o Stud Chesapeake.

"Aos 12, 13 anos de idade, ia com meu pai para o Jockey Club do Paraná. Meu pai era um pequeno proprietário e criador, que adorava estudar pedigrees". Foi assim que, em suas próprias palavras, José Luiz Glaser, titular do Stud Chesapeake, deu seus primeiros passos no turfe.

Pouco após a virada do novo milênio, entre os anos de 2002 e 2003 (época em que os turfistas se atentavam à farda do Stud Chesapeake em razão da vitória de Baccarat - um Burooj criado pelo Haras J. B. Barros - no Grande Prêmio Paraná (gr.I) de 2002), Glaser deu início às atividades de criador. E ao passo que os primeiros animais criados pelo Stud Chesapeake iniciavam campanha, a coudelaria passou a brilhar pelas patas daquele que, para Glaser, fora o seu craque mor: Setembro Chove.

Campeão do Grande Prêmio Presidente da República (gr.I) na Gávea em 2005 (ano em que também vencera os Grandes Prêmios Governador do Estado (gr.III), Pres. Henrique de Toledo Lara (gr.III) e Clássico Semana Internacional (L)), Setembro Chove (filho de Fast Gold pertencente à geração 2001 do Haras Interlagos) também obteve importantes vitórias no exterior. Ao vencer a Kranji Mile (CIN-gr.I), em 2006, Setembro Chove tornou-se o primeiro animal brasileiro a vencer uma prova de graduação máxima em Cingapura.

Setembro Chove, o pastor chefe do haras

Imagem: Divulgação Stud Chesapeake

E a grande representatividade de Setembro Chove para o Stud Chesapeake não se resumiu à ótima campanha do animal. Na reprodução, o castanho foi a grande aposta da coudelaria em termos de reprodutores.

"Ultimamente estou tentando não comprar coberturas, ou me utilizar o mínimo possível, de garanhões de terceiros, uma vez que tenho o Setembro Chove como garanhão do haras e é ele o reprodutor que mais utilizo. Porém, como sou quotista de Pioneering, Tiger Heart e Salto eu também uso esses garanhões. O Salto, inclusive, cobre exclusivamente as filhas de Setembro Chove", explica Glaser.

Tendo ingressado na reprodução em 2008, Setembro Chove conta, até aqui, com 82 produtos registrados no Stud Book Brasileiro, dos quais 12 (ou seja, 14.6% de sua produção) são ganhadores e/ou colocados em provas graduadas e/ou listed races. E dentre os produtos de black type da produção de Setembro Chove está justamente a grande "gema" do centro criatório. Nascida em 2012 e hoje cumprindo campanha nos Estados Unidos, a fêmea Juno é tida por Glaser como o melhor animal já criado em seu haras.

No Brasil, Juno foi à raia por 5 ocasiões, tendo vencido em todas elas. Além de uma eliminatória na estreia, foi ela a campeã dos Grandes Prêmios Barão de Piracicaba (gr.I), Immensity (gr.I), Pres. José Antonio Pamplona de Andrade (gr.II) e Pres. Guilherme Ellis (gr.III). A campanha fez dela a "melhor potranca de 2 anos" do Troféu Mossoró 2014/2015, sendo que na mesma premiação Setembro Chove venceu na categoria de "melhor reprodutor nacional".

Juno: "Champion 2yo filly" exportada para os EUA

Imagem: Paulo Bezerra Jr. 

Indriya (criada nos EUA, 1ª em G3, 3ª em G1 e reenviada para os EUA), High Moon (1ª G3), Alto Taquari (5º em G1; exportado para Dubai), Kranji (1º em LR; exportado para os EUA), Balfour (1º LR), Flemington (1º LR), Holland (1ª em LR), Hyannis (múltipla ganhadora de provas especiais) e Love 'N' Happiness (clássica de LR na geração 2014) são outros nomes de destaque na criação do Stud Chesapeake.

No Leilão da Criação Nacional ABCPCC 2017, o Stud Chesapeake apresentará os seguintes produtos da geração 2015:

Make Up - fêmea, por Pioneering e Edelwise (First American)

Moon Bay - fêmea, por Pioneering e Full Moon (Inexplicable)

Morristown - macho, por Agnes Gold e Irmadohomemra (Candy Stripes)

Margaery - fêmea, por Agnes Gold e Sophie's Salad (Rahy)

Magic Man - macho, por Agnes Gold e Whatsmineisyours (You And Y)

Miracle Mile - macho, por Setembro Chove e Carly (Crimson Tide)

Marylebonne - fêmea, por Setembro Chove e Dreamworks (Our Emblem)

Merrick Park - macho, por Public Speaker e Grand Ocean (Setembro Chove)

Main Attraction - fêmea, por Setembro Chove e Hémerocalle (Parme)

Moon Shadow - fêmea, por Tiger Heart e High Moon (Dubai Dust)

Make no Mistake - fêmea, por Setembro Chove e Jaguapitã (Be My Chief)

Merra - fêmea, por Pioneering e Lethal Lover (Honor Grades)

Market Sharek - fêmea, por Setembro Chove e Mamma Maria (Yagli)

Mais notícias

GP São Paulo: Mário André enfileira cocheira do Jaguarete nos melhores páreos do festival

Treinador mira sua primeira vitória na prova máxima paulista; Boris do Jaguarete é sua cartada

Ler na íntegra

EUA: Itsinthepost vence G2; Buster Douglas e Some In Tieme fora do marcador

Corredor francês foi o melhor no San Luis Rey Stakes (gr.II), em Santa Anita Park

Ler na íntegra

Em final de emoção, Hard Trick prevalece na "Milha Internacional"

Direção inspirada de Ilson Correa rendeu taça importante ao Haras Springfield

Ler na íntegra