Banner Haras Regina Topo
31 jul 2018 | 19:31:18

Mario Belmonte Moglia: o pico central de uma história de sucesso

Saudoso titular do Haras Fronteira será homenageado por conta da Copa ABCPCC Velocidade Mário Belmonte Moglia (gr.III).

Mário Moglia: um dos pioneiros de Bagé.

Imagem: Divulgação JCB

O município de Bagé, no Rio Grande do Sul, é famoso por abrigar alguns dos mais importantes estabelecimentos especializados na criação de cavalos da raça Puro Sangue Inglês. E em meio aos gigantes da indústria, o Haras Fronteira, de Mário Belmonte Moglia, fez-se um dos mais bem sucedidos.

Mário, aliás, foi um dos pioneiros na criação PSI em Bagé – na década de 1970 – quando a região não era, nem de longe, dotada da sofisticação e estrutura hoje experimentadas por diversos criadores. Ainda assim, foi capaz de criar, desde o princípio, animais de grande sucesso. Foi nos anos 2000, porém, que entrou, em definitivo, para a história do turfe brasileiro, a criar o super craque Pico Central.

Nos Estados Unidos, Pico Central tornou-se o primeiro animal brasileiro a vencer provas de alto padrão, disputadas na pista de areia e em distâncias curtas – ou seja, na mais competitiva e difícil esfera das corridas norte-americanas. No ano de 2004, venceu os prestigiosos Carter Handicap, Metropolitan Handicap e Vosburgh Stakes, os três dotados de graduação máxima.

Pouco tempo depois, o Haras Fronteira revelou Jeune-Turc, capaz da – difícil – proeza de vencer os Grandes Prêmios São Paulo e Brasil – o que fez nos anos de 2008 e 2009, respectivamente. Atualmente, Jeune-Turc figura como um dos mais promissores garanhões da criação brasileira.

Falecido em 2011, Mario passou a batizar, a partir do ano seguinte, a corrida de velocidade do festival da Copa dos Criadores ABCPCC – desde então, portanto, chamada de Copa ABCPCC Velocidade – Mário Belmonte Moglia (gr.III).

Schweinsteiger (por dentro) é sério candidato à vitória.

Imagem: Marília Lemos

Um vitorioso “peregrino” do turfe brasileiro, com vitórias clássicas distribuídas entre Cidade Jardim, Gávea e Tarumã, Schweinsteiger (por Tiger Heart, de criação do Haras Mignon e propriedade do Haras Rio Iguassu) surge como sério candidato a conquistar a prova que homenageará Moglia, no sábado. Vencedor do GP ABCPCC (gr.I) e quarto colocado no GP Major Suckow (gr.I), o alazão costuma demonstrar alta velocidade desde os primeiros lances da disputa.

Voando Sorrindo (por Voando Baixo, de criação da Coudelaria Pelotense e propriedade do Stud Eternamente Rio), que vem de formar a dupla no Suckow, corre de alcance, sempre surgindo com desenvoltura nos lances decisivos. Única fêmea do lote, Isola Di Fiori (por Pioneering, de criação do Haras Palmerini e propriedade do Haras do Morro) tentará desbancar os prováveis favoritos alinhando, ainda, ao lado de Raj (por Tiger Heart, de criação do Haras Santarém e propriedade do Stud Mikael, Super Rapha (por Put It Back, de criação do Haras Santa Maria de Araras e propriedade da Coudelaria Família Monteiro) e Essential Lord (por Dubai Dust, de criação e propriedade dos Haras Nacional & Nijú).

Mais notícias

França: os demais resultados do domingo

Além do Prix l’Arc de Triomphe, outras 5 corridas de G1 foram disputadas na jornada máxima francesa, em Chantilly.

Ler na íntegra

Show de Bagé In Concert marca sábado movimentado em Porto Alegre

Entre as fêmeas, foi Bacanona quem prevaleceu na sequência das tríplices coroas

Ler na íntegra

Criação: Dubawi alcança marca de 150 ganhadores black type

Pastor chefe da Darley atingiu marca expressiva após vitória de Old Persian no Fairway Stakes (L), em Newmarket.

Ler na íntegra