Banner Haras Regina Topo
30 jun 2018 | 17:00:34

Olé Gremista e Gergelim brilham nas Taças de Cristal

Listed races encerraram a tríplice coroa juvenil no Cristal e marcaram os pontos altos da reunião de sexta-feira (29).

Olé Gremista venceu as duas últimas etapas da tríplice coroa juvenil.

Imagem: Divulgação JCRS

Ontem (29), no Jockey Club do Rio Grande do Sul, a geração 2015 protagonizou dois dos mais importantes páreos programados para o calendário clássico gaúcho. As versões, de machos e fêmeas, da Taça de Cristal (L), ambas em 1.600m na raia de areia (encharcada), encerraram as tríplices coroas juvenis, revelando as vitórias de Olé Gremista e Gergelim.

Conduzida por Claudinei Farias, Olé Gremista acompanhou, na segunda colocação, o ritmo de Gata Sexy (Redattore). Dharkan (Watchmon) e Gibby (Watchmon) disputavam a terceira posição. Na reta de chegada, Olé Gremista girou por dentro de Gata Sexy e logo na seta dos 400 finais teve início acirrada briga pela ponta.

Nos últimos 150 metros, Olé Gremista desvencilhou-se de Gata Sexy, lhe derrotando por 1 corpo e ¼. Dharkan foi a terceira, ficando o complemento do placar a cargo de Bonibella (Tiger Heart) e Going South (Wild Event).

Treinada por H. P. Machado, Olé Gremista conquistou a terceira vitória em 5 saídas. Trata-se de uma filha de Shanghai Bobby e Yes Grêmio (Exile King), de criação do Haras Capela de Santana e propriedade do Stud Casablanca. Vinda de vencer o Clássico João Matas Solés (2ª prova da tríplice coroa juvenil), percorreu a distância no tempo de 1:44.80.

Na prova correspondente destinada aos machos, Gulf Watch (Watchmon) e Perverso (Shanghai Bobby) saíram do partidor em ritmo frenético, na disputa pela ponta. Já Claudinei Farias, o jóquei de Gergelim, manteve seu conduzido afastado de qualquer briga, na sexta posição.

Na reta de chegada, a tática de Farias mostrou-se mais do que acertada, à medida que Gergelim ultrapassou um a um de seus adversários. Don Itá (Watchmon), outro que arrancou com disposição, formou a dupla a pescoço. Sangue Missioneiro (Bold Start) finalizou em terceiro. Gulf Watch, que pagou tributo pelo ímpeto inicial, foi o quarto e Gunga Din (Wild Event) o quinto.

Recebendo treinamento de Nilton Pires, Gergelim obteve a segunda vitória em 6 tentativas. Filho de Adriano e Vereda Tropical (Wild Event), de criação do Haras Santa Maria de Araras e propriedade de Paulo Brown Meira, Gergelim completou a milha no tempo de 1:44.80.

Mais notícias

Habile Bobby impressiona na Prova Especial Haffers

Vencedor do GP Turfe Paranaense debutou com sucesso em Cidade Jardim e emplacou hat- trick de Jamil Name na reunião.

Ler na íntegra

Mercado: Pateo do Batel é exportada para a Nova Zelândia

Crioula de Roberto Belina leva no curriculum vitória no Grande Prêmio OSAF (gr.I).

Ler na íntegra

Chronnos segue o script à risca e dá show na Prova Especial Groove

Velocista do Haras Sweet Carol foi um dos melhores produtos deixados por Elusive Quality no Brasil

Ler na íntegra