Banner Haras Regina Topo
30 jun 2018 | 17:00:34

Olé Gremista e Gergelim brilham nas Taças de Cristal

Listed races encerraram a tríplice coroa juvenil no Cristal e marcaram os pontos altos da reunião de sexta-feira (29).

Olé Gremista venceu as duas últimas etapas da tríplice coroa juvenil.

Imagem: Divulgação JCRS

Ontem (29), no Jockey Club do Rio Grande do Sul, a geração 2015 protagonizou dois dos mais importantes páreos programados para o calendário clássico gaúcho. As versões, de machos e fêmeas, da Taça de Cristal (L), ambas em 1.600m na raia de areia (encharcada), encerraram as tríplices coroas juvenis, revelando as vitórias de Olé Gremista e Gergelim.

Conduzida por Claudinei Farias, Olé Gremista acompanhou, na segunda colocação, o ritmo de Gata Sexy (Redattore). Dharkan (Watchmon) e Gibby (Watchmon) disputavam a terceira posição. Na reta de chegada, Olé Gremista girou por dentro de Gata Sexy e logo na seta dos 400 finais teve início acirrada briga pela ponta.

Nos últimos 150 metros, Olé Gremista desvencilhou-se de Gata Sexy, lhe derrotando por 1 corpo e ¼. Dharkan foi a terceira, ficando o complemento do placar a cargo de Bonibella (Tiger Heart) e Going South (Wild Event).

Treinada por H. P. Machado, Olé Gremista conquistou a terceira vitória em 5 saídas. Trata-se de uma filha de Shanghai Bobby e Yes Grêmio (Exile King), de criação do Haras Capela de Santana e propriedade do Stud Casablanca. Vinda de vencer o Clássico João Matas Solés (2ª prova da tríplice coroa juvenil), percorreu a distância no tempo de 1:44.80.

Na prova correspondente destinada aos machos, Gulf Watch (Watchmon) e Perverso (Shanghai Bobby) saíram do partidor em ritmo frenético, na disputa pela ponta. Já Claudinei Farias, o jóquei de Gergelim, manteve seu conduzido afastado de qualquer briga, na sexta posição.

Na reta de chegada, a tática de Farias mostrou-se mais do que acertada, à medida que Gergelim ultrapassou um a um de seus adversários. Don Itá (Watchmon), outro que arrancou com disposição, formou a dupla a pescoço. Sangue Missioneiro (Bold Start) finalizou em terceiro. Gulf Watch, que pagou tributo pelo ímpeto inicial, foi o quarto e Gunga Din (Wild Event) o quinto.

Recebendo treinamento de Nilton Pires, Gergelim obteve a segunda vitória em 6 tentativas. Filho de Adriano e Vereda Tropical (Wild Event), de criação do Haras Santa Maria de Araras e propriedade de Paulo Brown Meira, Gergelim completou a milha no tempo de 1:44.80.

Mais notícias

Égua de ferro: Friends of Gold vence mais um Clássico Primavera (L)

Repetindo a vitória obtida em 2017, arenática de Bet Gold Stud superou Galang no embate das éguas, no Paraná.

Ler na íntegra

Lo Felipe não dá susto na Prova Especial Kigrandi

Tordilho do Haras Phillipson abriu a reunião sabatina de Cidade Jardim.

Ler na íntegra

EUA: brasileiros finalizam fora do marcador em provas graduadas

Kiss Me Now, Some In Tieme e Vettori Kin competiram ontem (23) em páreos do calendário clássico norte-americano.

Ler na íntegra