Banner Haras Regina Topo
01 Out 2018 | 09:56:39

Uruguai: Aero Trem e Gucci Girl, estrelas de uma data histórica para a criação brasileira

Com 100% de aproveitamento nas provas clássicas do dia, em Maroñas, brasileiros dominaram a sequência das tríplices coroas, sem prejuízo das vitórias obtidas por Etranger e Holy Legal.

Aero Trem: agora só falta o Derby!

Imagem: Ovacion Digital

O dia 30 de setembro de 2018 representou outra data histórica, para os brasileiros, no turfe uruguaio. Todas as quatro provas do calendário clássico local, disputadas ao longo da reunião, em Maroñas, foram vencidas por animais brasileiros.

Destinado a produtos de 3 anos, o Gran Premio Jockey Club (URU-gr.I), em 2.000m na pista de areia, marcou a segunda prova da tríplice coroa. Novo passo, rumo à conquista do cobiçado título, por parte de Aero Trem, filho de Shanghai Bobby e Piace Molto (Gilded Time), de criação e propriedade do Haras Old Friends.

Enquanto Duro de Matar (Salto) ditava o ritmo da prova, Julio Cezar Méndez mantinha Aero Trem em quarto. Vigiava, deste modo, os ponteiros de perto, mas sem permitir que aqueles livrassem grande vantagem, nas primeiras colocações. Numa excelente entrada de reta do piloto, Aero Trem passou limpo, por dentro de Duro de Matar, tomando, de golpe, a primeira colocação.

Após tomar conta do páreo, Aero Trem não mais abandonou a dianteira. Thalasso, um Shanghai Bobby criado pela Fazenda Mondesir, formou a dobrada de animais brasileiros – e do garanhão norte-americano, que aqui serviu em 2014 – a 2 corpos e ¾. Duro de Matar foi o terceiro, finalizando The Broad (Saratoga Storm) e Farruco Law (Southern Lawyer) no complemento do marcador. O brasileiro Great Spirit, que foi desclassificado – por doping – após vencer a Polla de Potrillos (URU-gr.I), não foi apresentado. Na Polla, aliás, a vitória ficou, em razão da desclassificação de Great Spirit, com o próprio Aero Trem, motivo pelo qual é ele o candidato à tríplice coroa.

Treinado por Alcides de Los Santos, Aero Trem passa a contar com 4 vitórias em 8 saídas. Ganhador do Criterium de Potrillos (URU-gr.II) e da Polla de Potrillos (URU-gr.I), Aero Trem – que fica, portanto, a uma vitória no Derby de conquistar a tríplice coroa uruguaia – percorreu os dois quilômetros no tempo de 2:02.31.

Na prova correspondente, destinada às fêmeas, a brasileira Gucci Girl, filha de Adriano e Oggettivita (Jules), de criação do Haras Santa Maria de Araras e propriedade do Stud El Comerciante, venceu o Gran Premio Selecion (URU-gr.I), em 2.000m na pista de areia, para potrancas de 3 anos.

Com Eric Costa “up”, Gucci Girl venceu, praticamente, de ponta a ponta. Imennsa Vendetta (por First American, do Stud Gaeta) deu grande impressão de que passaria, por Gucci Girl, nos últimos 300 metros. Gucci Girl, porém, resistiu aos ataques de Imennsa Vendetta, que perdeu a formação da dupla para Fora Gambo’a (Kodiak Kowboy) nos últimos lances. Flora Gambo’a alcançou o disco 2 corpos e ¾ atrás de Gucci Girl, ao passo que Imennsa Vendetta completou a trifeta brasileira.

Asiatic Heidy (Asiatic Boy) e Perfumada (Bluegrass Cat) deram números finais ao placar.

Treinada por Wáshington Burte, Gucci Girl obteve o quarto êxito em 11 saídas. Quinta colocada na Polla de Potrancas (URU-gr.I), assinalou 2:05.66 para a distância.

Disputado na pista de grama de Maroñas, na distância dos 2.400 metros, o Clásico de Honor (URU-gr.III), para produtos de 3 e mais anos, revelou a vitória de Etranger, 5 anos, filho de Wild Event e Sauce Bernaise (Quiet American), de criação do Haras Santa Maria de Araras e propriedade do Stud Crespi.

Corrido de alcance por Luis Cáceres, Etranger atropelou com sucesso, no tiro direto. Nedway (Giant Hope), um neto de Nedawi, formou a dupla a 1 corpo e ¼. Gauche (por Nedawi, criado pelo Haras Santa Rita da Serra) e Cerro Largo (por Drosselmeyer, criação Fronteira) foram outros dois brasileiros a subir no placar remunerado, finalizando em terceiro e quinto, respectivamente.

Recebendo treinamento de Alcides de Los Santos, Etranger conquistou a sétima vitória em 17 saídas. Tempo de 2:27.71. Replay aqui.

Houve tempo, ainda, para que Holy Legal, 5 anos, filha de Holy Roman Emperor e Hora Legal (Minstrel Glory), de criação e propriedade do Haras Belmont Ltda., vencesse o Clásico Plinio Oribe y Andres Oribe Deus (L), em 1.000m na pista de areia, para éguas de 3 e mais anos.

Após acompanhar Sub Princess (Subordination), na segunda colocação, Holy Legal desbancou a oponente no tiro direto. Sob condução de Héctor Lazo, bateu Sub Princess por 1 corpo e ½. Supersticiosa (Mogador) foi a terceira.

Apresentada por Denis Hermógeno, Holy Legal registrou 57.71 para o quilômetro, na sua décima vitória em 22 saídas. Replay aqui.

 

Mais notícias

No sino, Olympic Harvard fatura o GP Linneo de Paula Machado (gr.III)

Potro do Haras Regina conquistou batismo clássico.

Ler na íntegra

Very Nice Moon reaparece e vence mais uma em São Paulo

Craque invicta do Haras Old Friends agora segue para o GP OSAF (gr.I)

Ler na íntegra

Bicampeão da Breeders’ Cup Mile (gr.I), Lure morre nos Estados Unidos

Filho de Danzing encontrava-se alojado na Claiborne Farm, no Kentucky.

Ler na íntegra