24 mar 2020 | 20:04:32

Aos 28 anos, desaparece Mensageiro Alado

Um dos melhores velocistas do turfe brasileiro, em todos os tempos, Mensageiro Alado brilhou, também, na reprodução.

Velocista inesquecível, Mensageiro Alado produziu de "penqueiros" a fundistas.

Imagem: Hélio Lemos/Anuário de Garanhões 2005

Reputado como um dos melhores – se não o melhor – velocistas da história do turfe brasileiro, Mensageiro Alado desapareceu, aos 28 anos. O exímio exemplar PSI encontrava-se alojado na Padrillos Central de Reprodução Equina, em Nova Horizontina/RS. Segundo informação do veterinário Dr. Tiago Tarrago, a morte foi assintomática.

Nascido no ano de 1991, Mensageiro Alado pertenceu a uma das mais brilhantes gerações criadas pelo Haras Santa Ana do Rio Grande, composta, ainda, pelos também ganhadores de G1 Murano, Magnum Opus, Miss Dourness e Messalina. Filho de Ghadeer e Key To The Edge (Sharpen Up), Mensageiro Alado debutou, aos 2 anos, em seletiva da edição inaugural da Copa ANPC Velocidade de Potros, no ano de 1994. Depois de vencê-la, na Gávea, conquistou a final, em Cidade Jardim.

Mantendo-se invicto no GP Nestor Jost (G3), Mensageiro Alado foi levado até a milha, distância na qual finalizou em terceiro para Dust ‘N Roses no GP ABCPCC (G1), Criterium de Potros, em sua última atuação, aos 2 anos. Fora do marcador na Milha Internacional vencida por Above The Sky, Mensageiro Alado, então, retornou ao quilômetro.

De volta aos 1.000 metros, Mensageiro Alado conquistou 7 vitórias em suas 9 atuações seguintes. O principal êxito ocorreu no GP Major Suckow (G1) de 1995 – disputado no meeting milionário do GP Brasil. Venceu, ainda, por duas vezes, o Grande Prêmio Proclamação da República (G1) e também por duas vezes a Copa ANPC Velocidade (G3).

Mensageiro Alado encerrou campanha com 12 vitórias em 19 corridas, competindo dos 2 aos 6 anos. Ingressou na reprodução na temporada de 1997 e a partir dali revelou versátil produção, gerando desde vencedores de grandes penas até ganhadores clássico, em distâncias de fundo. Seus produtos, de igual modo, desempenharam, com destaque, em ambas as pistas.

Vencedora, a exemplo do pai, dos Grandes Prêmios Proclamação da República (G1) e ABCPCC Velocidade de Potros (G3), American Night figura como um dos destaques de sua produção. O fundista, múltiplo ganhador clássico de G2, Sinistro, é outro que chama atenção no stud record de Mensageiro Alado.

Na qualidade de avô materno, Mensageiro Alado também galgou posição de destaque. Sua ilustre filha Super Desejada (vencedora do GP Cordeiro da Graça (G2)) produziu a ganhadora de G3, Desejada Normand (Roi Normand). Já Anneés Dorrés, que venceu provas de G2 e G3 entre a milha e os 2.000 metros, viria a produzir o excelente Or Noir (Soldier of Fortune), que no ano passado venceu, dentre outros páreos, a Copa ABCPCC Clássica Matias Machline (G1). O ótimo Not To Tell You (Baby Speedy), vencedor de G3, é outro destacado neto de Mensageiro Alado.

Abaixo, trecho da entrevista concedida por José Carlos Fragoso Pires Junior ao website da ABCPCC, em 2017 (disponível aqui), na qual destacou Mensageiro Alado como o animal que mais marcou a sua trajetória, enquanto titular do Haras Santa Ana do Rio Grande:

“(...) Enfim, são diversos os animais que marcaram minha vivência no esporte. De todo modo, se eu precisasse escolher apenas um deles, ficaria com Mensageiro Alado. Pela campanha que produziu e a vitalidade que lhe mantém em serviço na reprodução, até hoje, em que pese a idade avançada. Um cavalo cativante.”

Mais notícias

Cancha reta: Zikade brilha em Carazinho

Filha de Silver Train levou a melhor no Grande Prêmio Haras Ponta Porã - Camil Georges

Ler na íntegra

Fitzgerald supera Gandhi Di Job em Maroñas

Parelha brasileira, pertencente ao Stud La Fe, emplacou dobrada no Clásico Pablo Gelsi e José M. Ferro.

Ler na íntegra

Copa dos Criadores: regulamento é disponibilizado para consulta pública

Contribuições poderão ser enviadas até o dia 9 de abril.

Ler na íntegra