02 jun 2020 | 14:17:14

Arrogate desfalca – precocemente – a criação norte-americana

Corredor emblemático da Juddmonte teve seu falecimento anunciado nesta terça-feira (2).

Arrogate produziu atuações inesquecíveis, no Travers Stakes (G1) e na Dubai World Cup (G1).

Imagem: Juddmonte Farm

Um dos melhores corredores da história recente do turfe norte-americano, Arrogate teve seu falecimento anunciado nesta terça-feira (2).

A informação foi divulgada pela Juddmonte Farm, em seu site oficial, onde constou que o tordilho restou sacrificado, na manhã de hoje, por não ter se recuperado de uma grave moléstia manifestada na semana passada. De acordo com a nota, Arrogate acusou desconforto em seu pescoço e pouco depois deitou-se, em sua cocheira, não mais tendo conseguido levantar-se.

Filho de Unbridled’s Song e Bubbler (Distorted Humor), Arrogate nasceu em 2013, criado pela Clearsky Farm. Nos leilões de Keeneland, em setembro de 2014, marcou o retorno da Juddmonte às compras nas vendas de potros, nos Estados Unidos, tendo sido arrematado por US$ 560 mil.

Enviado às cocheiras de Bob Baffert, Arrogate estreou aos 3 anos, com um terceiro lugar, em eliminatória disputada no hipódromo de Los Alamitos. Depois disso, venceu 3 corridas consecutivas, entre Santa Anita (duas) e Del Mar (uma), antes de encarar seu primeiro desafio na esfera clássica. O fez por ocasião do Travers Stakes (G1), em Saratoga, no qual o tordilho produziu uma das mais estonteantes exibições da história do páreo: venceu de ponta a ponta, por 13 corpos e ½, em recorde.

Em seguida, desbancou California Chrome no esperado embate entre os dois, na Breeders’ Cup Classic (G1), em Santa Anita. Voltaria a derrotar o carismático alazão, na primeira saída, aos 4 anos, quando venceu – também em recorde, para os 1.800 metros, dirt, em Gulfstream Park – a versão inaugural da Pegasus World Cup (G1).

Pela primeira vez fora dos Estados Unidos, Arrogate foi levado a Meydan, onde, numa atuação de cinema (com direito a uma má largada, indo da última à primeira colocação e vencendo com ampla folga) conquistou a Dubai World Cup (G1). O êxito foi considerado, por Baffert, a mais impressionante atuação de um cavalo de corrida já testemunhada pelo consagrado profissional.

Depois de retornar aos Estados Unidos, Arrogate não mais conseguiu emplacar, em 3 outras saídas, o brilho de suas exibições anteriores. Encerrou campanha aos 4 anos, com 7 vitórias em 11 saídas e mais de US$ 17 milhões em somas ganhas.

Arrogate ingressou na reprodução em 2018, na Juddmonte Farm, no Kentucky. Sua primeira prole, portanto, nasceu no primeiro semestre do ano passado. Dentre as ilustres éguas enviadas ao garanhão, na sua temporada inicial, esteve Songbird, outra Champion do turfe norte-americano, contemporânea ao tordilho.

Mais notícias

Em final eletrizante, Ziska Blade conquista o Clássico Encerramento (L)

Velocista do Haras Gentil encerrou 2019 com vitória clássica.

Ler na íntegra

De volta à grama, Surprising brilha no GP Presidente Hernani Azevedo Silva (gr.II)

Corredora pertence ao Stud Alessio & Naela.

Ler na íntegra

Filho de Bonne Rafaela, Fluminense vence allowance em Churchill Downs

Potro do Stud TNT segue no caminho dos stakes.

Ler na íntegra