15 jul 2019 | 08:24:44

Criação: Can The Man, um canal para Into Mischief, no Brasil

Reprodutor norte-americano ficará alojado em Bagé/RS.

Can The Man reforça o "time" de reprodutores de Bagé.

Imagem: Spendthrift Farm

Dez anos após ter ingressado na reprodução, Into Mischief figura como um dos garanhões mais cotados da criação norte-americana. Em 2019, os brasileiros passarão com os serviços de um filho seu: Can The Man, que ficará alojado em Bagé/RS, no Stud Eternamente Rio, se juntará às demais chamativas novidades, dentre os reprodutores importados, da temporada de monta que se avizinha. Trata-se de um arrendamento para a temporada 2019. 

Nascido em 2011, Can The Man estreou com vitória, aos 2 anos, numa eliminatória em Del Mar. Na atuação seguinte, produzida no mesmo hipódromo, foi à raia no Del Mar Futurity (gr.I), tendo ponteado o páreo até seus lances decisivos. A vitória, na ocasião, ficou com Tamarando, ao passo que Can The Man finalizou em terceiro. No mesmo páreo, California Chrome, um dos mais celebrados animais do turfe norte-americano nas temporadas seguintes, foi o sexto colocado.

Noutra investida de graduação máxima, aos 2 anos, Can The Man argolou a quarta colocação do FrontRunner Stakes (gr.I), que foi vencido, em Santa Anita, por Bond Holder. Can the Man encerrou o ano de 2013 vencendo o Speakeasy Stakes, também em Santa Anita, quando de seu primeiro êxito black type.

Can The Man produziu sua primeira exibição aos 3 anos ao vencer o Affirmed Stakes (gr.III), em Santa Anita. Na sequência, deslocou-se até Los Alamitos para finalizar em quinto no Los Alamitos Derby (gr.II), vencido pelo excelente e precocemente desaparecido Shared Belief. Essa foi a última atuação de Can The Man, que deixou as pistas com 3 vitórias em 6 saídas.

Can The Man ingressou na reprodução em 2015, na Spendthrift Farm (Kentucky), tendo sua primeira geração, portanto, estreado no ano passado. Im Evin Im Leavin, vencedora do Chariot Chaser Handicap (black type), no Canadá, e Spetacular Gem, que conta com segundo e terceiros lugares em stakes disputados em Fair Grounds, são seus dois principais produtos até o momento.

O já mencionado Into Mischief (irmão materno da craque Beholder), logo em sua primeira geração, revelou o múltiplo ganhador de G1 – e atualmente reprodutor – Goldencents. Na sequência, além de produzir a diversos outros vencedores clássicos – incluindo outros 3 ganhadores de graduação máxima – Into Mischief venceu, no ano de 2018, a estatística de garanhões de produtos de 2 anos. Ele serve a US$ 150 mil na própria Spendthrift Farm.

A mãe de Can The Man, Smolensk (Danzig) desenvolveu a maior parte de sua campanha na Europa, onde venceu provas de G2 e G3 na França, além de ter formado a dupla, para a excelente Ridgewood Pearl, no Coronation Stakes (gr.I), na Inglaterra. Já sua segunda mãe, Blush With Pride (Blushing Groom) venceu o Kentucky Oaks (gr.I) e se destacou como avó materna, dentre outros, de dois vencedores do Belmont Stakes (gr.I): Rags To Riches e Jazil. Por fim e consequência, a terceira mãe de Can The Man é Best In Show, considerada uma das melhores reprodutoras da história.

Can The Man possui duas coberturas à venda no Leilão Extraordinário e na Extensão do Leilão de Coberturas da ABCPCC. Clique aqui e saiba mais.

Mais notícias

Leilão da Criação Nacional: Olympic Idaho, um Acteon Man, alcança R$ 165 mil na segunda noite

Potro adquirido por Black Opal Stud junto ao Haras Regina foi o preço recorde do leilão em 2017

Ler na íntegra

Cada vez mais histórica, Winx vence a 25ª consecutiva e iguala Black Caviar

Craque australiana venceu, pelo segundo ano consecutivo, o Queen Elizabeth II Stakes (gr.I).

Ler na íntegra

E tudo mudou para ser como é…, por Sérgio Barcellos

Marcel Boussac “Dê-me sangue e eu crio um craque na Place Vendôme.”  A frase é atribuída pela crônica do turfe a Marcel Boussac (foto), o magnata da indústria têxtil francesa, considerado um dos cinco construtores do moderno puro sangue inglês de corrida. Os outros quatro são Lord Derby, o Aga Khan, Arthur Hancock e, claro, Federico Tesio, o mago de... [continua ]

Ler na íntegra