22 fev 2019 | 16:49:20

Cristal: Payador do Sarandi e Bertioga Thunder dão as cartas entre os mais novos

Clássicos J. A. Flores da Cunha e Oswaldo Aranha reuniram produtos da geração 2016.

Bertioga Thunder deu demonstração de ampla superioridade.

Imagem: Transmissão JCRS

Nesta sexta-feira (22), em Porto Alegre, produtos da geração 2016 disputaram os principais páreos da programação.

Payador do Sarandi, filho de Pioneering e Cannot Loose (Inexplicable), de criação de Airton Solla Diniz e propriedade do Stud BLJ, venceu o Clássico J. A. Flores da Cunha, para potros de 2 anos, em 1.100 metros na areia.

Vindo de vencer uma eliminatória (sendo que, anteriormente, havia estreado numa das eliminatórias do Turfe Gaúcho), Payador do Sarandi demonstrou boa velocidade, brigando pela ponta desde a largada. Na curva, definiu-se na primeira colocação.

Durante toda a reta final, Payador do Sarandi teve de se defender dos ataques de Delimon (Watchmon). No rigor de L. Souza, porém, resistiu aos avanços do oponente, a quem derrotou por 1 corpo. Peute Étre (Kodiak Kowboy) foi o terceiro, finalizando Archevêché (Glória de Campeão) e Grazie Amico (Glória de Campeão) nos postos subsequentes.

Treinado por O. D. Serrão, Payador do Saraindi conquistou a segunda vitória em 3 saídas. Tempo de 1:10.80 para o ganhador, que tem na excepcional Ma Belle a sua terceira mãe.

Já no Clássico Oswaldo Aranha, em 1.100m na areia, para fêmeas de 2 anos, levou a melhor Bertioga Thunder, filha de Desejado Thunder e Valerian Way (Blade Prospector), de criação do Haras Ponta Porã e propriedade do Stud Nínives de Áquila.

Segunda colocada para Planeta Mig na final do GP Turfe Gaúcho, Bertioga Thunder assumiu a ponta logo após a largada. Na curva, abriu boa margem à frente de Garrucha Lerap (Wired Bryan). Na reta final, demonstrou sobras e mais sobras em relação às adversárias.

Sob condução de Claudinei Farias, livrou cerca de 10 corpos sobre Garrucha Lerap. Nova Moleca (Agnes Gold) foi a terceira colocada. Depois, Happiness (Poker Face) e Hall Is Well (Put It Back).

Recebendo treinamento de Luciano Arias, Bertioga Thunder conquistou a segunda vitória em 3 corridas. Tendo na múltipla produtora clássica, Hail Cat, sua terceira mãe, percorreu a distância em 1:09.80.

Mais notícias

Pimper's Paradise alcança a consagração no Grande Prêmio Brasil (G1)

Doce Vale, Venâncio Nahid e Alexandre Correia: as conexões vitoriosas do – craque – filho de Put It Back.

Ler na íntegra

Sigillaria aprova a milha e meia e vence o GP Pres. José Bonifácio Coutinho Nogueira (gr.II)

Filha de Silent Times pertence ao Stud Capone.

Ler na íntegra

Best Magee supera Ziska Blade em final de emoção

Potranca da Coudelaria Fantastic conquistou o GP Independência – SOTREQ (gr.III).

Ler na íntegra