29 set 2017 | 10:07:38

Em busca da consagração, Enable encara dezesseis no Prix l’Arc de Triomphe (gr.I)

Artigo de desejo entre criadores, proprietários e profissionais mundo afora, o Arco ganhará sua versão 2017 no próximo domingo.


Provável favorita no domingo, Enable poderá manter o predomínio das fêmeas no Arco

Imagem: Thoroughbred Daily News

Binóculos, câmeras fotográficas e olhares atentos de centenas de milhares de aficionados, ao vivo e via satélite, se focarão, no próximo domingo, em mais uma edição do Prix l’Arc de Triomphe (gr.I). Tida, por muitos, como a corrida mais almejada do mundo, a disputa máxima francesa reunirá 17 animais na composição de seu lote. Dentre eles, o artigo de maior destaque no turfe do velho continente em 2017: Enable.

Vencedora das versões britânica e irlandesa do Oaks (gr.I) e maestrina de um massacre orquestrado para cima dos machos no King George VI & Queen Elizabeth Stakes (gr.I), a potranca do Príncipe Khalid Abdullah poderá manter a prevalência feminina nas versões mais recentes do Arco. Das últimas 10 edições do páreo, 6 foram vencidas por éguas – incluindo o êxito de Found, no ano passado.

Se uma vitória no domingo consagrará, em definitivo, a campanha da filha de Nathaniel, significado semelhante o terá para Lanfranco Dettori. O bridão italiano, notabilizado como o jóquei número um da Godolphin por mais de uma década, vivenciou altos e baixos – inclusive em delicadas passagens de sua vida pessoal – após o rompimento com a farda azul. Com talento de sobra, porém, Dettori deu a volta por cima e agora se encontra na iminência de conquistar a quinta vitória no Prix l’Arc de Triomphe. Caso o faça, o piloto se tornará o recordista em troféus no páreo – deixando para trás verdadeiras lendas das rédeas, como Yves Saint-Martin e Jacques Doyasbère.

Para que tudo isso se concretize, porém, Enable precisará, obviamente, cruzar o disco em primeiro. Na tentativa de impedir o feito, talvez não haja um nome de tamanha evidência quanto Ulysses. Maduro e correndo cada dia mais, o filho de Galileo venceu, em 2017, os Eclipse Stakes (gr.I), International Stakes (gr.I) e foi quem mais se aproximou de Enable no King George.

Se Enable passou intacta, conforme escrito, pelos Oaks disputados em solos britânico e irlandês, Winter (Galileo) protagonizou algo parecido. Vencedora das versões do 1000 Guineas (gr.I) disputadas em ambos os países, no ano de 2017, a tordilha da Coolmore apresenta-se como a principal cartada de Aidan O’Brien, que em 2016 emplacou uma histórica trifeta no páreo. O profissional, aliás, que persegue seu terceiro êxito na competição, conta, ainda, com as inscrições do atual derby winner francês, Capri; da múltipla ganhadora de G1, Seventh Heaven; do atual terceiro colocado no páreo, Order of St. George; e do provável coelho, Idaho. Todos filhos de Galileo.

Vitorioso na Poule d’Essai des Poulains (gr.I), Brametot (Rajsaman) representa boa parte das esperanças da casa. Já a estrela nipônica Satono Diamond (Deep Impact) tentará render à criação de seu país conquista outrora utópica – mas que os japoneses vêm namorando, de perto, há mais de uma década.

Dschingis Secret, Zarak, Cloth of Stars, Plumatic, Iquitos, Silverwave, One Foot In Heaven, Doha Dream e Satono Noblesse completam o lote.

Amanhã, cinco corridas graduadas – incluindo o G1 dos fundistas no Prix du Cadran – darão início às festividades. No domingo, além do Arco, os Prix l’Opera (gr.I, em 2.000m/grama, para éguas de 3 e mais anos), Prix Marcel Boussac – Criterium des Pouliches (gr.I, em 1.600m/grama, para potrancas de 2 anos), Prix Jean-Luc Lagardere – Grand Criterium (gr.I, em 1.600m/grama, para produtos de 2 anos), Prix l’Abbaye de Longchamp (gr.I, em 1.000m/grama, para produtos de 2 e mais anos) e o Prix de la Foret (gr.I, em 1.400m/grama, para produtos de 3 e mais anos) darão o tom à programação de Chantilly.

A exemplo do ocorrido no biênio 1943 e 1944, no extinto hipódromo du Tremblay, o festival máximo francês completará seu segundo ano longe de Longchamp, que passa por reformas. Se o fator charme, porém, transforma o Arco em algo tão especial, por certo que Chantilly não deixou nada a desejar. Em 2018, o bom filho à casa tornará. 

Mais notícias

Nota de falecimento: Olavo Jerônimo

Olavo Jerônimo Imagem: Porfírio Menezes/Divulgação JCSP O turfe brasileiro perdeu, nesta quarta-feira (23), um dos mais antigos e vitoriosos nomes, de seu quadro de profissionais: Olavo Jerônimo. O falecimento do treinador foi noticiado pelo Jockey Club de São Paulo, por meio de seu website. Natural de Ressaquinha, Minas Gerais, Olavo iniciou nas cocheiras de Pedro Nickel, como segundo gerente. Passando... [continua ]

Leilão de Coberturas ABCPCC: inscrições vão até a próxima terça-feira (8/5)

Programado para o dia 23 de maio, leilão credenciará a geração 2019, dos garanhões inscritos, para fins de participação na Copa dos Criadores ABCPCC.

EUA: Lady Eli e Abel Tasman brilham em Nova York

Entre grama e areia, provas de G1 destinadas às fêmeas movimentaram Saratoga no fim de semana.