27 set 2020 | 17:01:22

Olympic Johnsnow brilha no GP Presidente da República (G1)

Filho de Agnes Gold rendeu mais uma taça da Milha Internacional para o Haras Regina.

Wikley Xavier comemora a vitória de Olympic Johnsnow

Imagem: Sylvio Rondinelli

Destinado a produtos de 3 e mais anos, o Grande Prêmio Presidente da República (G1), em 1.600m na pista de grama (macia), foi disputado neste domingo (27), no Jockey Club Brasileiro. Comprovando meteórica evolução – vinha de vencer o páreo perdedor, aos esbarros – Olympic Johnsnow, 4 anos, filho de Agnes Gold e Je Suis Belle (Crimson Tide), de criação e propriedade do Haras Regina (chegou ao seu 6º troféu, entre Cidade Jardim e Gávea, da Milha Internacional), foi o vencedor.

Apanhando partida limpa e dotado de grande velocidade, Dark Bobby mandou-se para a ponta, após a largada. Ignacio apresentou-se, em segundo, correndo Olympic Johnsnow e Norgaard emparelhados, na disputa do terceiro posto. Roman Holiday, Don Bizarro e Mr. Kowboy brigavam pela sexta colocação.

Dark Bobby girou para a reta final já com Olympic Johnsnow em sua pegada. Logo nos 400 finais, Olympic Johnsnow, dando ótima impressão, dominou Dark Bobby. Nos últimos 250 metros, com a primeira colocação sob seu comando, Olympic Johnsnow apenas fez aparar, à distância, os ataques de Norgaard, que, reservado para uma partida curta, tentou aproximar-se do ponteiro.

Com Wilkley Xavier “up”, Olympic Johsnow cruzou o disco, absoluto, 1 corpo e ¼ à frente de Norgaard. Olympic Icecream veio de longe para completar a trifeta. Amor Total e Dark Bobby completaram o marcador.

A seguir, Bavaro Beach, Mr. Kowboy, Ultimate Runner, Don Bizarro, Don Bizarro, Quebra-Galho, Roman Holiday e Ignacio.

Recebendo treinamento de Roberto Solanés (venceu 6 das últimas 10 edições do páreo), Olympic Johnsnow conquistou a 2ª vitória (1ª clássica) em 5 saídas. Tempo de 1:33.11.

Mais notícias

Os Números da Criação Brasileira (1970 - 2016), por José C. F. Pires Jr.

Produção Brasileira caiu cerca de 16%.

Ler na íntegra

Mensagem do Presidente: Jockey Club Brasileiro, recordista em matéria de desrespeito

Quando se pensa que o ano de 2020 já foi suficiente para tantos absurdos praticados em nome do Jockey Club Brasileiro, vem à percepção do contrário: sempre há o que piorar e registrar o presente, não bastassem todos os pesares, com pecha de lamentável, nos anais do turfe carioca. Após o cancelamento de programas já formados na véspera das corridas,... [continua ]

Ler na íntegra

500 quilos de puro coração: Hassenah bate os machos na Copa dos Campeões (gr.II)

Defensora do Stud A.M.L. conquistou vitória emocionante na principal prova do fim de semana.

Ler na íntegra