06 mar 2020 | 14:41:43

Pedigree & Black Type: os Ganhadores Clássicos no Brasil - 5ª Edição

Nesta semana: Surprising e Penelope Charming.

Surprising

Imagem: Porfírio Mezes/Divulgação JCSP

Duas foram as provas clássicas disputadas, no Brasil, durante o último final de semana. Ao final delas, prevaleceram Surprising e Penelope Charming.

Surprising – Grande Prêmio Presidente Luiz Oliveira de Barros (G3) – 1.800m/grama – Éguas de 3 e mais anos – Criação: Haras São José da Serra – Propriedade: Stud Alessio & Naela – Cidade Jardim

Demonstrando estar na trilha do Grande Prêmio OSAF (G1), Surprising é filha First American (Quiet American e In Jubilation, por Isgala), que por sua vez desenvolveu campanha nos Estados Unidos, seu país natal, onde obteve duas vitórias – incluindo o Flamingo Stakes (G3) – em 13 saídas. Importado para o Brasil, foi capaz de gerar ganhadores clássicos dos 1.000 aos 3.000 metros. Múltiplo ganhador de G1, incluindo o GP São Paulo, e atualmente reprodutor (pai de black type winner), Timeo talvez tenha sido o principal expoente de sua produção. Além dos filhos e filhas, First American – desaparecido em 2017 – vem revelando-se eficiente avô materno, como, por exemplo, dos ganhadores de G1 Braço Forte e Silence Is Gold.

Licca-Chan, a mãe de Surprising, pertence à primeira geração do exímio produtor de velocidade, Tiger Heart. Em campanha, a corredora revelou-se múltipla ganhadora clássica – incluindo G3, em São Paulo. Sua mãe, Colette (Burooj), firmou-se como destacada reprodutora do plantel do Haras Santarém, ao produzir outros 3 ganhadores clássicos, além de Licca-Chan, incluindo Oggigiorno (Pioneering), dono de campanha extensa e essencialmente clássica, em Maroñas.

Licca-Chan

Imagem: Paulo Bezerra Jr./Divulgação JCSP

A terceira mãe de Surprising, Beautiful Rafaela, foi uma Alleged importada dos Estados Unidos, pelo Haras J. B. Barros, na década de 1990. Além de Colette, produziu o ganhador de listed, na Gávea, Fiorentino (Inexplicable). Em sua linha materna, carrega um dos mais bem sucedidos ramos semeados por Ogden Phipps. A quarta mãe de Beautiful Rafaela, Baby League (Bubbling Over), sem prejuízo de ter produzido o Horse of The Year, nos Estados Unidos, em 1945, Busher, também se firmou como excelente matriarca, a partir da qual surgiram animais como Effervescing (conhecido, sobremaneira, dos brasileiros), Mineshaft, Numbered Account e Smarty Jones. Baby League, por sua vez, tem como mãe ninguém menos que La Troienne (Teddy), a francesa, criada por Marcel Boussac, que é reputada, por muitos, como a mais importante reprodutora PSI do século XX.

Inbreedings de Surprising: Dr. Fager (5x5) – Família 1-x

Penelope Charming – Clássico Orsenigo (L) – 1.100m/areia – Produtos de 3 e mais anos – Criação e propriedade: Haras do Morro – Gávea

Penelope Charming

Imagem: Sylvio Rondinelli/Divulgação JCB

Responsável por colocar fim à invencibilidade de Nice Lady, Penelope Charming compõe a produção de Pioneering (Mr. Prospector e Terlingua, por Secretariat), que foi à raia por 6 vezes, nos Estados Unidos, obtendo 2 vitórias, em provas de chamada comum. Para seu ingresso na reprodução, o crioulo da Overbrook Farm apresentava como principal credencial – em detrimento da campanha de pouco destaque – sua filiação: trata-se de um irmão materno do fundamental Storm Cat. Ademais, a avó, Crimson Saint, havia produzido, além de Terlingua, o nosso – muito bem – conhecido Royal Academy.

Nos Estados Unidos, Pioneering destacou enquanto pai da ganhadora de G1, Behaving Badly, e avô materno do bom velocista Conquest Two Step. Vindo para o Brasil ao final da primeira década deste século, teve, logo em sua primeira geração, o ótimo Farrier, vitorioso, além da Taça de Prata (G1), no GP Conde de Herzberg (G2), que marcou a única derrota de Bal A Bali, antes de sua exportação. Meu Chuck e Emperor Cat figuram como seus outros dois produtos vencedores de graduação máxima, no Brasil.

Giant's Causeway

Imagem: Coolmore

Importada in útero, Royal Cause – a mãe de Penelope Charming – é um dos exemplares da produção sul americana de Giant’s Causeway, vencedor, por 3 vezes, da estatística geral de reprodutores, nos Estados Unidos, onde também foi o avô materno líder, em 2018. Penelope Charming, no caso, figura como seu primeiro produto. Royal Cause é filha da norte-americana All Royal (Kris S.), que restou trazida para o Brasil pelo Haras Old Friends. Tanto All Royal quanto sua mãe, All The Crown (Chief’s Crown), não correram. All The Crown produziu o ganhador de G3, Devil’s Preacher, e figura como quinta mãe do recente ganhador do Queen’s Plate (G1), no Canadá, One Bad Boy.

Tanto Thirty Flags quanto Thirty Years, respectivamente quarta e quinta mães de Penelope Charming, foram vencedoras de black type, nos Estados Unidos.

Inbreedings de Penelope Charming: Roberto (4x5), Nasrullah (5x5), Princequillo (5x5) e Ramussen Factor em Terlingua (2x4) – Família 8-c.

por Victor Corrêa

Mais notícias

English Major retoma o caminho das vitórias

Corredor de Black Opal Stud conquistou o Clássico Candido Egydio de Souza Aranha (L).

Ler na íntegra

Negociado com Hong Kong, Cash do Jaguarete desfalca o Derby

Líder de geração deixa o Brasil com 2 provas de G1 no currículo.

Ler na íntegra

ABCPCC informa: convocação da 1ª reunião do Conselho Deliberativo

Ler na íntegra