26 mar 2020 | 18:10:24

Pedigree & Black Type: os Ganhadores Clássicos no Brasil - 6ª Edição

Nesta edição: Quasimodo, Rasgado de Birigui e Eliz do Jaguarete.

Nas últimas duas semanas, houve a disputa de 3 provas clássicas nas pistas de Cidade Jardim. De olho na semana máxima, Quasimodo e Rasgado de Birigui venceram preparatórias. Contra as mais velhas, Eliz do Jaguarete conquistou batismo clássico.

Quasimodo

Imagem: Porfírio Menezes/Divulgação JCSP

Quasimodo – Grande Prêmio Presidente do Conselho do Jockey Club (G2) – 1.600m/grama – Produtos de 3 e mais anos – Criação: Newton Birskis – Propriedade: Stud My Hero Dad – Cidade Jardim

Na sua primeira atuação na grama, Quasimodo carimbou sua participação no GP Presidente da República (G2), de maio. Trata-se de um filho de Pioneering (Mr. Prospector e Terlingua, por Secretariat), que foi à raia por 6 vezes, nos Estados Unidos, obtendo 2 vitórias, em provas de chamada comum. Para seu ingresso na reprodução, o crioulo da Overbrook Farm apresentava como principal credencial – em detrimento da campanha de pouco destaque – sua filiação: trata-se de um irmão materno do fundamental Storm Cat. Ademais, a avó, Crimson Saint, havia produzido, além de Terlingua, o nosso – muito bem – conhecido Royal Academy.

Nos Estados Unidos, Pioneering destacou-se enquanto pai da ganhadora de G1, Behaving Badly, e avô materno do bom velocista Conquest Two Step. Vindo para o Brasil ao final da primeira década deste século, teve, logo em sua primeira geração, o ótimo Farrier, vitorioso, além da Taça de Prata (G1), no GP Conde de Herzberg (G2), que marcou a única derrota de Bal A Bali, antes de sua exportação. Meu Chuck e Emperor Cat figuram como seus outros dois produtos vencedores de graduação máxima, no Brasil.

Olimpo

Imagem: Sylvio Rondinelli/Divulgação JCB

Mãe de Quasimodo, Quiba (Redattore) venceu 3 corridas e obteve colocação em G3, no Hipódromo de Cidade Jardim. Trata-se de uma neta de Opinião (Kurrupako), que muitos frutos rendeu ao Haras São José da Serra e outros centros criatórios.

Mãe do ganhador de G2 Ortogonal, Opinião figura, via Optativa (Janus), como segunda mãe de Official Report (ganhador de G2), Out of Mind (múltiplo ganhador de G2 entre Brasil e Estados Unidos) e Bafra Dreamin (ganhador de listed). Via Op Colony (New Colony), Opinão é avó materna do ganhador do GP Francisco Eduardo de Paula Machado (G1) Olimpo e da ganhadora de G3 Tauane.

A quinta mãe de Quasimodo, Op Art (Kameran Khan) é uma representante da criação Ipiranga, que produziu, também, ao ganhador de G2, na Gávea, Aristoteles.

Inbreedings de Quasimodo: Raise A Native (3x5) e Narsullah (5x5) – Família 9.

Rasgado de Birigui – Grande Prêmio 14 de Março (G3) – 2.400m/grama – Produtos de 3 e mais anos – Criação: Haras Old Friends – Propriedade: Stud Birigui – Cidade Jardim

Rasgado de Birigui

Imagem: Porfírio Menezes/Divulgação JCSP

Múltiplo ganhador clássico, Rasgado de Birigui retomou o caminho das vitórias em trial do GP São Paulo. Seu pai, Soldier of Fortune (Galileo e Affinaced, por Erins Isle) talvez tenha sido o principal fundista da Coolmore a servir no Brasil. O irlandês venceu, em seu país natal, o Irish Derby (G1) e na Grã-Bretanha faturou a Coronation Cup (G1). Obteve, ainda, um terceiro para Zarkava no Prix l’Arc de Triomphe (G1). Trata-se de um irmão próprio do bom reprodutor Heliostatic, importado para a Argentina, pelo Haras Santa Maria de Araras.

Soldier of Fortune ingressou na reprodução em 2010. Na Europa, sua atuação é predominantemente no mercado das corridas com obstáculo – nicho no qual é um dos garanhões mais cotados do continente.

No Brasil, deixou apenas a geração nascida em 2014, composta por 100 produtos. O múltiplo ganhador clássico – incluindo a Copa ABCPCC Clássica Matias Machline (G1) – Or Noir é o expoente de sua produção nacional. Vencedor do GP São Paulo (G1), Olympic Hollywood também pede passagem, em seu stud record. Exportado para a Ásia, o ganhador de G1 Jadir completa, com o vitorioso em G3, Fortune Danz, e o próprio Rasgado de Birigui, o grupo de black type winners produzidos pelo semental.

Rasgado de Birigui é o primeiro produto de Grand I Ask (Yagli), que venceu 7 provas, em Cidade Jardim, incluindo o Grande Prêmio OSAF (G1). Sua cria que seguiu Rasgado de Birigui, Agassi também competiu, com sucesso, na esfera clássica, o que implica dizer que, até o momento, Grand I Ask possui 100% de aproveitamento enquanto matriz de ganhadores clássicos.

Grand I Ask

Imagem: Paulo Bezerra Jr./Divulgação JCSP

Acima de Grand I Ask, outra égua de qualidade ímpar: Ola I Ask (Grimaldi), que, criada por Gianni Franco Samaja, originou – além de Grand I Ask – outras duas incríveis reprodutoras: Universal Rara (Ramirito), mãe de Universal Law (múltiplo ganhador de G1 incluindo o GP São Paulo), Uareoutlaw (vencedor da Taça de Prata – G1) e Uareademon (vencedor, no Uruguai, da Polla de Potrillos); e Xiririca da Serra (Know Heights), que além de ter vencido G1, em campanha, também produziu Jaspion Silent, outro vencedor do GP São Paulo.  

Trata-se de família incorporada à criação brasileira pelo Haras São José & Expedictus, na primeira metade do século XX, com contribuições, em seu desenvolvimento, do Haras Rosa do Sul.

Inbreedings de Rasgado de Birigui: Northern Dancer (5x4) e Mr. Prospector (4x5) – Família 4-b.

Eliz do Jaguarete – Clássico Presidente Luiz Nazareno Teixeira de Assumpção (L) – 1.600m/areia – Éguas de 3 e mais anos – Criação e propriedade: Stud Jaguarete – Cidade Jardim

Eliz do Jaguarete

Imagem: Porfírio Menezes/Divulgação JCSP

Ao conquistar seu primeiro êxito clássico, Eliz do Jaguarete rendeu novo êxito clássico a Kodiak Kowboy (Posse e Kokadrie, por Coronado’s Quest), por sua vez um norte-americano, de 11 vitórias em 23 saídas. Venceu, dentre outros, o Carter Handicap (G1), o Vosburgh Stakes (G1) e a Cigar Mile (G1), recebendo o Eclipse Award de Champion Sprinter no ano de 2009. Ingressou na reprodução, em 2010, e antes de vir ao Brasil deixou, nos Estados Unidos, o ganhador do Santa Anita Handicap (G1), Melatonin, o ganhador de G3, Shotgun Kowboy e o múltiplo ganhador clássico, em Dubai, Cool Cowboy.

No Brasil, Kodiak Kowboy destaca-se pelo arenático, múltiplo ganhador clássico, Gogo Boy; pelo ganhador de G3 – e um dos favoritos antecipados ao GP São Paulo deste ano – Eron do Jaguarte, pela ganhadora do Grande Prêmio Diana (G1), Duty do Jaguarete; e pela múltipla ganhadora de listed, Wild Vip.

A terceira mãe de Eliz do Jaguarete, Zoa (Roya Orbit) rendeu à criação Mondesir vitórias em provas de G1, incluindo os Grandes Prêmios OSAF (G1) e Marciano de Aguiar Moreira (G1). Trata-se da segunda mãe de Fin Del Mundo, vencedor do Derby Uruguaio. A genitora de Zoa, Juturna (Zuido) foi uma das melhores éguas dos Peixoto de Castro, com atuação entre o final da década de 60 e início dos anos 1970. Venceu o Possolo, na Gávea, e o OSAF, em Cidade Jardim. Juturna também produziu a ganhadora da Taça de Prata (G1) Venise Star e o múltiplo ganhador clássico Breitner.

Inbreedings de Eliz do Jaguarete: Mr. Prospector (5x5) – Família 16-e.

por Victor Corrêa

Mais notícias

Stud Book informa: autorização de utilização de sêmen fresco colhido durante a cobertura.

Com a recente atualização das normas do IABRW (International Agreement on Breeding, Racing and Wagering) promovidas pela IFHA (International Federation of Horseracing Authorities) e pelo ISBC (International Stud Book Committee) em 02 de junho de 2017, das quais somos signatários e, objetivando aplicar efetivamente os dispositivos do nosso Regulamento, o Stud Book Brasileiro emitiu a Circular SBB nº 01/2017, versando... [continua ]

Ler na íntegra

Falcão Shanghai, rumo à Milha Internacional

Defensor do Stud Mendonça & Nijú conquistou o Clássico Luiz Rigoni (L).

Ler na íntegra

Grandes Prêmios Paraná e Turfe Gaúcho têm dotações divulgadas

Gaúchos e paranaenses lançaram mão das chamadas de suas disputas locais.

Ler na íntegra