27 jul 2017 | 21:50:01

Grã Bretanha: Sixties Song encara 9 adversários no “King George” de sábado

Estrela argentina busca a primeira vitória sul americana numa das mais prestigiosas provas do turfe europeu.

Alfredo Gaitan observa Sixties Song em Newmarket: argentinos querem fazer história

Imagem: www.turfdiario.com

A ascensão de Sixties Song no turfe argentino revelou-se meteórica. Na quinta apresentação da campanha, o filho de Sixties Icon e Blissful Song (Unbridled’s Song) encantou Buenos Aires ao vencer o GP Carlos Pellegrini (gr.I). Sobreveio, então, fácil vitória no GP Longines Latinoamericano (gr.I), no Chile. Como o céu parece ser o limite para o castanho de 4 anos, neste sábado (29) Sixties Song encarará missão hercúlea em solo europeu. Ele aparece inscrito, ao lado de outros 9 animais, no tradicionalíssimo King George VI & Queen Elizabeth Stakes (gr.I), em 2.400m na raia de grama, com mais de £ 650 mil destinados ao primeiro colocado.

Treinado por Alfredo Gaitan, Sixties Song terá no dorso o experiente – francês – Gerald Mosse, que muito embora ostentando currículo bastante vitorioso, ainda persegue a primeira vitória na prova. Pela baliza cinco, Sixties Song fará frente, dentre outros animais, ao atual ganhador do páreo, Highland Reel (Galileo) cujo retrospecto lhe rende, com justiça, o apelido de “globetrotter” – à medida que venceu, em diferentes países e continentes, importantes disputas. A “princesa da Europa”, Enable (Nathaniel), que emplacou um double nos Oaks britânico e irlandês, desponta como outra grande atração do lote.

Ganhadores de G1, Jack Hobbs (Halling), My Dream Bolt (Lord Shanakill) e Ulysses (Galileo) também despertam atenção de turfistas e membros da imprensa. Desert Encounter (Halling), Maverick Wave (Elusive Quality) e Benbatl (Dubawi) completam o campo do páreo. Sixties Song rateia aproximadamente 60 por 1 nos bookmakers britânicos.

De criação do Haras Firmamento e propriedade da Caballeriza Santa Elena, Sixties Song participará do nobre compromisso, em Ascot, treze anos após outro sul americano protagonizar atuação histórica, no mesmo páreo. À época treinado nos Estados Unidos, por Kenneth McPeek, o brasileiro Hard Buck (Spend A Buck), de criação do Haras Old Friends e propriedade de Team Victory, finalizou na segunda colocação do “King George” no ano de 2004, que teve em Doyen (Sadler’s Wells) o seu ganhador. Inobstante a invejável campanha, Hard Buck logrou êxito na reprodução, com destaque para Moryba, ganhador do Grande Prêmio Brasil (gr.I).

Mais notícias

Japão: herdeira da genética Mondesir, Danon Fantasy vence G2 em recorde

Uma das líderes japonesas conta com éguas da Fazenda Mondesir na linha baixa.

Ler na íntegra

Aos esbarros, Tiz The Law vence o Belmont Stakes (G1)

Filho de Constitution confirmou seu favoritismo na abertura da tríplice coroa norte-americana. No Acorn Stakes (G1), um show de Gamine.

Ler na íntegra

Presença de Guerrero na Gávea repercute na mídia nacional

Futebolista acompanhou estreia de potros de sua propriedade no Jockey Club Brasileiro

Ler na íntegra