01 jan 2018 | 19:54:28

Gun Runner congela os cronômetros em exercício para a Pegasus World Cup

Alazão da Three Chimneys exibiu forma estupenda em trabalho produzido na pista de Fair Grounds.

Gun Runner surge, desde logo, como força à conquista da Pegasus World Cup (gr.I)

Imagem: Anne Erbhardt/Blood Horse

No último dia de 2017 houve tempo para que uma das principais estrelas do turfe internacional voltasse a despertar a atenção dos turfistas de plantão. Ontem (31), em Fair Grounds, Gun Runner, já em vias de preparação para a Pegasus World Cup (gr.I) do próximo dia 27 de janeiro, produziu exercício dos mais chamativos.

Conforme informação de Jennie Rees, publicada no website da Blood Horse, Gun Runner, trabalhando de parelha com seu habitual sparring, Gettysburg, percorreu uma milha em 1:39.20, com 1:10.60 para os últimos 1.200 metros. O galopador Angel Garcia esteve no dorso de Gun Runner, uma vez que Florent Geroux, piloto habitual do alazão, encontra-se na França, devido ao falecimento de seu pai.

De acordo com a reportagem, o exercício, um pouco mais intenso do que aqueles regularmente coordenados pelo treinador Steve Asmussen, ocorreu, nessas circunstâncias, devido à previsão de uma queda, ainda maior, de temperatura, em New Orleans – que poderá afetar a rotina normal de treinamentos, nas próximas semanas.

“Temos uma baixa de temperatura a caminho, e nós provavelmente perderemos alguns dias com isso. Eu realmente quis que ele (Gun Runner) trabalhasse antes disso acontecer, na hipótese das temperaturas baixas permanecerem por mais tempo. Então, nós pedimos por ele hoje e acredito que ele correspondeu plenamente. Ele me pareceu ótimo. Se tudo correr bem, teremos mais dois trabalhos antes da viagem para Gulfstream Park”, declarou Asmussen à reportagem da Blood Horse.

Aos 5 anos, Gun Runner – por Candy Ride e Quiet Giant (Giant’s Causeway) – de criação de Besilu Stables e propriedade de Three Chimeneys Farm e Winchell Thoroughbreds, soma 10 vitórias em 18 corridas. Cinco de seus êxitos ocorreram em provas de G1. O mais importante, na Breeders’ Cup Classic (gr.I) do último mês de novembro.

A Pegasus World Cup (gr.I), por sua vez, será disputada pela segunda vez. Com US$ 16 milhões de bolsa, a corrida mais bem dotada do mundo, teve em Arrogate o vencedor da primeira edição, em 2017.

Mais notícias

Pesquisa sugere predisposição genética, de equinos atletas, à ocorrência de acidentes graves

Estudo da Universidade do Kentucky identificou 3 genes, com diferentes níveis de atividade, entre atletas saudáveis e atletas severamente lesionados.

Ler na íntegra

Boris do Jaguarete conquista batismo clássico em São Paulo

Disputado nesse domingo (29), em Cidade Jardim, o Clássico Pres. Rafael A. Paes de Barros (L), em 2.400m na pista de grama (pesada), para produtos de 3 e mais anos, foi vencido por Boris do Jaguarete, 3 anos, filho de Amigoni e Golden Medal (Roi Normand), de criação e propriedade do Stud Jaguarete.

Ler na íntegra

Falcão Shanghai, rumo à Milha Internacional

Defensor do Stud Mendonça & Nijú conquistou o Clássico Luiz Rigoni (L).

Ler na íntegra