31 jul 2018 | 19:31:18

Mario Belmonte Moglia: o pico central de uma história de sucesso

Saudoso titular do Haras Fronteira será homenageado por conta da Copa ABCPCC Velocidade Mário Belmonte Moglia (gr.III).

Mário Moglia: um dos pioneiros de Bagé.

Imagem: Divulgação JCB

O município de Bagé, no Rio Grande do Sul, é famoso por abrigar alguns dos mais importantes estabelecimentos especializados na criação de cavalos da raça Puro Sangue Inglês. E em meio aos gigantes da indústria, o Haras Fronteira, de Mário Belmonte Moglia, fez-se um dos mais bem sucedidos.

Mário, aliás, foi um dos pioneiros na criação PSI em Bagé – na década de 1970 – quando a região não era, nem de longe, dotada da sofisticação e estrutura hoje experimentadas por diversos criadores. Ainda assim, foi capaz de criar, desde o princípio, animais de grande sucesso. Foi nos anos 2000, porém, que entrou, em definitivo, para a história do turfe brasileiro, a criar o super craque Pico Central.

Nos Estados Unidos, Pico Central tornou-se o primeiro animal brasileiro a vencer provas de alto padrão, disputadas na pista de areia e em distâncias curtas – ou seja, na mais competitiva e difícil esfera das corridas norte-americanas. No ano de 2004, venceu os prestigiosos Carter Handicap, Metropolitan Handicap e Vosburgh Stakes, os três dotados de graduação máxima.

Pouco tempo depois, o Haras Fronteira revelou Jeune-Turc, capaz da – difícil – proeza de vencer os Grandes Prêmios São Paulo e Brasil – o que fez nos anos de 2008 e 2009, respectivamente. Atualmente, Jeune-Turc figura como um dos mais promissores garanhões da criação brasileira.

Falecido em 2011, Mario passou a batizar, a partir do ano seguinte, a corrida de velocidade do festival da Copa dos Criadores ABCPCC – desde então, portanto, chamada de Copa ABCPCC Velocidade – Mário Belmonte Moglia (gr.III).

Schweinsteiger (por dentro) é sério candidato à vitória.

Imagem: Marília Lemos

Um vitorioso “peregrino” do turfe brasileiro, com vitórias clássicas distribuídas entre Cidade Jardim, Gávea e Tarumã, Schweinsteiger (por Tiger Heart, de criação do Haras Mignon e propriedade do Haras Rio Iguassu) surge como sério candidato a conquistar a prova que homenageará Moglia, no sábado. Vencedor do GP ABCPCC (gr.I) e quarto colocado no GP Major Suckow (gr.I), o alazão costuma demonstrar alta velocidade desde os primeiros lances da disputa.

Voando Sorrindo (por Voando Baixo, de criação da Coudelaria Pelotense e propriedade do Stud Eternamente Rio), que vem de formar a dupla no Suckow, corre de alcance, sempre surgindo com desenvoltura nos lances decisivos. Única fêmea do lote, Isola Di Fiori (por Pioneering, de criação do Haras Palmerini e propriedade do Haras do Morro) tentará desbancar os prováveis favoritos alinhando, ainda, ao lado de Raj (por Tiger Heart, de criação do Haras Santarém e propriedade do Stud Mikael, Super Rapha (por Put It Back, de criação do Haras Santa Maria de Araras e propriedade da Coudelaria Família Monteiro) e Essential Lord (por Dubai Dust, de criação e propriedade dos Haras Nacional & Nijú).

Mais notícias

ABCPCC entrevista: José Carlos Fragoso Pires Jr.

Nome íntimo ao turfe brasileiro, dentro e fora das pistas, Fragoso revelou suas impressões e perspectivas da atividade no país.

Ler na íntegra

El Bacan conquista batismo clássico em Cidade Jardim

Arenático do Stud Parente Sobral venceu, com facilidade, o Clássico Presidente João Tobias de Aguiar – RFR/Perfimax (L).

Ler na íntegra

Representante da Weatherbys fará auditoria no Stud Book Brasileiro

Denúncia referente à realização de inseminação artificial motivou ato de fiscalização, que ocorrerá no mês de julho.

Ler na íntegra