25 mar 2018 | 15:53:56

Pineapple Pie faz jus à filiação e debuta com vitória em G3

Filha da ganhadora de G1, I Scream, potranca do Haras Doce Vale produziu estreia de luxo no GP Luiz Fernando Cirne Lima (gr.III).


Pineapple Pie: estreia de luxo

Imagem: Gérson Martins

A presença de um estreante numa prova clássica, por si só, sempre chama atenção. Quando o estreante em questão, então, descende de uma ganhadora de G1 – I Scream (Ay Caramba) – o chamariz torna-se ainda maior. Sob tais condições, debutou hoje (25), na Gávea, com vitória, no Grande Prêmio Luiz Fernando Cirne Lima (gr.III), em 1.400m na pista de grama (macia, com cerca móvel de 9m), para potrancas de 2 anos, Pineapple Pie (Wild Event), de criação e propriedade do Haras Doce Vale.

Bay Ovar (Drosselmeyer), que defendia o favoritismo e a liderança entre as fêmeas, assumiu a dianteira. Corria em segundo Morena de Bagé (Agnes Gold), com Pineapple Pie acionando no terceiro lugar. Linda Demais (Shanghai Bobby) e Breaking News (Glória de Campeão) na sequência.

Abordada a reta final, Morena de Bagé deu início à perseguição à ponteira. Pineapple Pie, atirando-se para dentro e custando a alinhar, dava algum trabalho a Wesley da Silva Cardoso.

Castigada na mão canhota do piloto, porém, Pineapple Pie emplacou vistoso arremate na pegada das duas primeiras colocadas, quando faltavam 300 metros para o disco. Com melhor ação, Pineapple Pie passou pela dupla, derrotando Morena de Bagé por 1 corpo e ¼. Bay Ovar, que perdeu a formação da dupla por diferença mínima, finalizou em terceiro. Depois, Breaking News (7) e Linda Demais (15 e ½).

Treinada por Venâncio Nahid, Pineapple Pie percorreu a distância na marca de 1:24.24. Neta do nacional Ay Caramba (por Roi Normand, ganhador de G1 no Brasil e de G3 nos Estados Unidos), tem na matriz Uff-Uff (De Quest) a segunda mãe. Esta, por sua vez, figura como uma das melhores reprodutoras da história da criação nacional, tendo produzido, além da já mencionada I Scream, os igualmente vencedores de G1 Fluke e Huka-Hunka, ambos por Wild Event.

Dona de campanha bastante modesta, de uma única colocação em duas saídas, Uff-Uff veio a premiar, a perseverança do Haras Doce Vale, quanto à preservação da linha de Donnegalle (Campero), no haras. Múltipla ganhadora clássica e múltipla produtora clássica, restou incorporada ao plantel do Haras Doce Vale quando da aquisição do próprio Haras Inshalla, em Bagé/RS. Produziu, além de Uff-Uff e dos ganhadores graduados, Malmedy (Un Entendard) e Nineties (Clackson), o vencedor de G1 e atualmente reprodutor - de destaque - no Uruguai, Cagney (Roy).

Mais notícias

Mano de Piedra: de bandeira a bandeira o melhor

Pupilo de Diego Gosik conquistou o Clássico Candido Egydio de Souza Aranha (L).

Argentina Vale Dori vence seu primeiro G1 nos Estados Unidos

Filha do também argentino Asiatic Boy levantou o Santa Margarita Stakes (gr.I)

Cidade Jardim: Link Olímpico vence a seletiva da Taça de Prata

Filho do nacional Plenty of Kicks pertence ao Haras Regina.