21 fev 2019 | 16:09:39

Saúde animal: Pesquisa analisará método capaz de identificar micro doses de eritropoetina

Hormônio, capaz de potencializar oxigenação, entra na mira das autoridades promotoras de corridas.


De acordo com publicação de Frank Angst, no website da Blood Horse, pesquisadores buscarão desenvolver método capaz de identificar micro doses de eritropoetina, aplicadas em cavalos de corrida. O hormônio, que passou a ser sintetizado há cerca de 30 anos, é utilizado para aumentar a produção de hemácias – e por consequência potencializar a oxigenação sanguínea.

Conforme a reportagem, a Kentucky Horse Racing Commission aprovou a destinação de US$ 147 mil do fundo da Kentucky Equine Drug Research Council, para a realização da pesquisa. A coordenação dos trabalhos ficará a cargo de Hearther Knych, do Ken L. Maddy Equine Analytical Chemistry Laboratory, vinculado à Universidade da Califórnia. Estima-se que o projeto será desenvolvido por um período de 2 anos.

Em reunião da Kentucky Horse Racing Commission, realizada no último dia 19 de fevereiro, a diretora veterinária da entidade, Mary Scollay, apresentou carta que relata diversos reportes informais dando conta do chamado doping sanguíneo. Segundo o documento, a ministração de pequenas doses de eritropoetina humana, em animais, bem como do tipo sintético do hormônio – darbopoetina – vem sendo levada a cabo nas corridas de cavalo, sem que os exames antidoping tradicionais sejam capazes de identificar a prática.

O abuso de eritropoetina aumenta o número de hemácias, provocando um efeito potencializador na performance, à medida essas células tendem a carregar mais oxigênio para os músculos. A repressão a esse tipo de doping, porém, é dificultada quando há a aplicação de eritropoetina em micro doses – bem como pelo fato de que a substância tende a permanecer no organismo do animal por menos de 48 horas, a contar da aplicação. Em se tratando de atletas humanos, a identificação do doping sanguíneo verifica-se com base em indicadores de ácidos ribonucleicos, que demonstram alteração na produção de hemácias.

Além do estudo principal, a Kentucky Horse Racing Commission aprovou pedido, do Kentucky Equine Drug Research Council, para a realização de pesquisa com a finalidade de verificar os padrões de eliminação do Levamisol, junto ao organismo animal. Utilizado como vermífugo, o Levamisol tem, como um de seus metabólitos, o aminorex – um potente estimulante, que enseja a aplicação de severas punições, quando identificado.

Mais notícias

Leilão da Criação Nacional: conheça os participantes da etapa Rio de Janeiro

Evento acontecerá no tattersall do Jockey Club Brasileiro nos dias 22 e 24 de junho

Fera do Manno comanda dobrada de Alberto Tiellet Miorim na ABCPCC Regional

Filho de Alcorano compôs, com Fuego Enlas Patas, ponta e dupla da farda e também do criador, Stud Itaara.

Prelude Rye supera Olympic Harvard por diferença mínima no Ramírez 2022

Prova máxima do turfe uruguaio foi disputada nesta quinta-feira.