13 Abr 2017 | 21:51:29

Especial Leilão da Criação Nacional: Mario Sparano Vitelli


Mario Sparano Vitelli

Imagem: arquivo pessoal

Representante da jovem guarda da criação brasileira, Mario Sparano Vitelli será um dos inscritores participantes da etapa paulista do Leilão da Criação Nacional ABCPCC 2017. De origem italiana, Vitelli despertou para o turfe há 30 anos e desde então vem militando na atividade, como proprietário, criador e manager.

"Minha entrada no turfe aconteceu em 1988, junto com meu pai, quando tínhamos um relacionamento comercial com o Jockey Club de São Paulo. Por acaso acabamos no tattersall em dia de leilão. Nesse dia adquirimos 2 cavalos e escolhemos um treinador através da relação da revista 'O Coruja', optando pelo saudoso Alone Menegolo, pela origem italiana de seu sobrenome, já que é sabido que somos oriundos deste país. Tal empreitada não deu certo, mas na mesma época a família Menegolo nos indicou um cavalo paranaense criado pelo Haras Fronteira, chamado Haiduck. Ele acabou desenvolvendo campanha interessante, vencendo diversas corridas e se colocando inclusive em provas clássicas tanto em São Paulo, quanto no Paraná. Nos anos seguintes, por meio de meu pai, adquirimos mais de 30 potros", relata Vitelli.

Atualmente com um plantel composto por 6 matrizes, que se dividem entre haras gaúchos e paranaenses, Vitelli também guarda boas recordações de outras aquisições que fizera:

"Sempre dei sorte com os cavalos que adquiri. Para citar animais que venceram para mim, lembraria de Dez Quilates, From Top, Vidiz, Davignon e a égua Varuna, uma "monstrinha" de 540 quilos em carreira. Enfim, como proprietário pequeno que sempre fui, devo estar perto das 30 vitórias, resultado este que considero muito bom pelos valores que investi."

Cacique Negro, o melhor PSI que Vitelli vira correr

Imagem: divulgação JCSP

Em que pese o início na atividade ladeado por seu pai, Vitelli não deixa de citar outro nome fundamental para sua inserção na criação PSI: Marco Baraúna, do Haras Che Renda. "Ele acabou me influenciando muito quando me deu a oportunidade de ser o responsável pela montagem do plantel de reprodutoras do seu haras", explica. 

Entre os animais que guarda como seus "craques", Vitelli elenca dois, em especial: Xois - dentre aqueles que possuiu - e Cacique Negro - para ele, o melhor PSI brasileiro que vira correr: 

"Dentre os meus cavalos, não há dúvida que Xois fora o melhor. Um cavalo que me foi presenteado pelos seus problemas físicos e em razão de seu caráter nervoso, que venceu, inclusive, o GP General Couto de Magalhães. Já no tocante ao melhor PSI brasileiro que vi correr, foi certamente o Cacique Negro".

Já quando indagado sobre os métodos utilizados para selecionar os garanhões que padrearão suas matrizes, Vitelli faz referência às linhas maternas e dedica atenção aos reprodutores nacionais. "Como estudioso que sou procuro sempre conservar as características das linhagens paternas e maternas na escolha dos cruzamentos das minhas éguas. Alguns índices não podem e não devem ser ignorados, e dentre os garanhões nacionais, por exemplo, destaco os impressionantes Setembro Chove e É Do Sul", completa.

O milionário Malibu Moon é avô materno de Olympic Iguatemi, que será oferecido por Vitelli no Leilão da Criação Nacional ABCPCC

Imagem: Spendthrift Farms

 

No Leilão da Criação Nacional ABCPCC 2017, Mario Sparano Vitelli apresentará o seguinte produto da geração 2015: 

Olympic Iguatemi - macho, por Redattore e Olympic Dahlia (Malibu Moon)

Clique aqui e acesse o catálogo do Leilão da Criação Nacional ABCPCC 2017 - etapa São Paulo.

Mais notícias

De ponta a ponta, Pau-Rei de Birigui levanta o Grande Prêmio Oswaldo Aranha (gr.II)

Defensor do Stud Birigui obteve a primeira vitória clássica de sua campanha no trial do GP São Paulo 2017

Ler na íntegra

Argentina Vale Dori vence seu primeiro G1 nos Estados Unidos

Filha do também argentino Asiatic Boy levantou o Santa Margarita Stakes (gr.I)

Ler na íntegra

Nota de Falecimento: Adail Oliveira

Há tempos com a saúde debilitada, desde um AVC sofrido em 2007, o ex-jóquei e treinador Adail Oliveira acabou não resistindo e falecendo na manhã deste sábado, 11 de fevereiro.

Ler na íntegra