Banner Haras Regina Topo
23 Out 2017 | 22:54:31

Silvestre de Sousa reina, pela segunda vez, no berço do turfe moderno

Bridão brasileiro obteve o segundo título da estatística britânica de jóqueis.

Silvestre de Sousa ergue o seu segundo troféu do Stobart Champion Flat Jockey

Imagem: Sporting Life

Se a jornada em Ascot, no último sábado, foi dedicada aos campeões de quatro patas, nada do que mais justo ter havido, igualmente, espaço para que o mais vitorioso jóquei do turfe britânico, na temporada, erguesse seu troféu. Aos 36 anos, o brasileiro Silvestre de Sousa conquistou, pela segunda vez, o título de Stobart Champion Flat Jockey, dado ao campeão da estatística nacional.

Com 201 vitórias, Sousa abriu confortável margem à frente de Luke Morris, o segundo colocado, detentor de 145 primeiros lugares. Campeão em 2016, Jim Crowley ocupou a terceira posição, com 138 êxitos.

“Estou lisonjeado de estar aqui, num dia especial como este. Acho que esse título foi mais prazeroso (do que o primeiro). Quando iniciei a temporada, coloquei na cabeça que eu queria vencer (a estatística), mas você nunca tem certeza de que vencerá. Eu estava pilotando cavalos melhores e montando melhor do que nunca. Tive mais confiança em minhas montarias. E foi ficando cada vez melhor à medida que os treinadores depositaram confiança em mim, me permitindo fazer o que era melhor para seus cavalos”, declarou o jóquei à reportagem do tabloide britânico, Sporting Life.

Natural de São Francisco do Maranhão, Silvestre de Sousa iniciou sua carreira na escola de jóqueis aprendizes em São Paulo, no início da década passada. Após atuar, também, em Curitiba, o maranhense rumou para a Europa, no ano de 2003. A primeira parada deu-se na Irlanda, trabalhando para o treinador Dermot Weld. Dois anos mais tarde, o piloto viria a se transferir para o berço do turfe moderno, Inglaterra.

Mesmo num nível de competição bastante exigente, Silvestre de Sousa alçou jornada de grande sucesso. Além das vitórias, que com o passar dos anos tornaram-se cada vez mais frequentes e numerosas, o brasileiro chegaria à condição de jóquei contratado da Godolphin. Foi sob o comando de Sousa, aliás, que a poderosa farda do Sheikh Mohammed bin Rashid Al Maktoum venceu a sua última Dubai World Cup (gr.I) – desde então – com African Story, em 2014.  

Em 2015, dois feitos tonaram a temporada mais do que especial para Silvestre de Sousa. No dorso da fêmea Arabian Queen, Sousa bancaria o algoz de uma improvável derrota de Golden Horn – ganhador do Arco e do Epsom Derby – no International Stakes (gr.I). Inobstante, conquistaria o primeiro troféu da estatística local.

No último sábado (21), o Jornal da Globo exibiu matéria sobre o feito de Silvestre de Sousa. Confira o material aqui.

Mais notícias

MAPA coloca em consulta pública proposta de norma sobre fiscalização de hipódromos.

Contribuições poderão ser enviadas, até o dia 26 de novembro.

Ler na íntegra

Reunião anual do Comité Fiscalizador de Calidad de Carreras Clássicas da OSAF aconteceu na ultima sexta-feira

Comitê reuniu-se em Lima, no Peru, para validar os calendários clássicos dos países membros para 2018.

Ler na íntegra

Cheval Grand vence a Japan Cup (gr.I)

Filho de Heart’s Cry recebeu condução do australiano Hugh Bowman,

Ler na íntegra