11 mar 2017 | 18:03:29

Rumo ao GP São Paulo, Bóris do Jaguarete vence o "14 de Março"

Filho de Amigoni emendou sua segunda vitória clássica consecutiva, sendo a primeira graduada

Antônio Mesquita comemora a firme vitória de Bóris do Jaguarete no GP 14 de Março (gr.III)

Imagem: Marília Lemos

Disputado nesse sábado (11), em Cidade Jardim, o Grande Prêmio 14 de Março (gr.III), em 2.400m na pista de grama (pesada, com 4m de cerca móvel), para produtos de 3 e mais anos - em teste para o GP São Paulo (gr.I) 2017 -, foi convincentemente dominado por Bóris do Jaguarete, 3 anos, filho de Amigoni e Golden Medal (Roi Normand), de criação e propriedade do Stud Jaguarete. 

Sempre espontâneo, Seu Moreira (U. S. Ranger) assumiu a vanguarda na partida. Olympic Fluke (Manduro) era o segundo, aparecendo o próprio Bóris do Jaguarete em terceiro. Acionava em quarto Frisson (Refuse To Bend) e na quinta colocação Concilium (Sulamani).

Durante a curva da direita bem como na extensão da reta oposta, Seu Moreira impôs um forte ritmo ao páreo, correndo cerca de 7 corpos à frente de Olympic Fluke. Na curva, porém, a diferença entre os dois diminuiu para apenas 1 corpo à medida que Seu Moreira diminuía a intensidade de seu train.

Abordado o tiro direto, Olympic Fluke dominou francamente Seu Moreira, que dava por encerrada a sua missão na competição. Acontece que no mínimo convite de Antônio Mesquita, Bóris do Jaguarete "cresceu" ao lado de Olympic Fluke para, logo na seta dos 400 finais, abrir fogo contra o ponteiro. Frisson e Concilium não conseguiam engrenar enquanto que Béjart (Vettori) avançava pelas balizas internas. 

Dominando Olympic Fluke nos 200 finais, Bóris do Jaguarete passou, então, a aumentar sua vantagem até o disco. Numa vitória de firmeza, o castanho superou Béjart, de boa atuação, por 3 corpos e 1/2. Olympic Fluke (5 e 1/2) ainda foi o terceiro, finalizando Orario Pubblico (por Agnes Gold, 6 e 1/4) e Forbes (por First American, 6 e 3/4) no complemento do placar.

Depois chegaram Frisson, Concilium, Kebab e Seu Moreira.

Treinado por Mário André, Bóris do Jaguarete obteve a sua quarta vitória em 12 corridas. Também ganhador do Clássico Pres. Rafael A Paes de Barros (L), Bóris do Jaguarete correu a milha em meia na marca de 2:31.90.

Mais notícias

Siphon: um marco do PSI brasileiro

Desaparecido, aos 28 anos, alçou o cavalo de corrida brasileiro a voos, até então, inimagináveis – tão inimagináveis, quanto seu pai: Itajara.

Ler na íntegra

Uruguai: Feiticeira Kowboy vence, em recorde

Ganhadora do Turfe Gaúcho conquistou, em recorde, o Handicap Especial Eugenio J. Lagarmilla.

Ler na íntegra

ABCPCC sediará encontro sobre ratings

Representantes de hipódromos brasileiros se reunirão no próximo dia 24 de abril, em São Paulo.

Ler na íntegra