17 jan 2021 | 22:39:54

Com pedigree 100% brasileiro, Atletico El Culano vence o GP José Pedro Ramirez (G1)

Filho dos nacionais Alcorano e Alegre Baby rendeu a taça da maior prova uruguaia ao Haras Bagé do Sul.

Atletico El Culano vence o Ramirez 2021

Imagem: Transmissão Maroñas Entertainment

Prova máxima do turfe uruguaio, o Gran Premio José Pedro Ramirez (G1), em 2.400m na pista de areia, para produtos de 3 e mais anos, foi disputado neste domingo (17), no Hipódromo de Maroñas. Com genética brasileira, posta à toda prova, Atletico El Culano, 4 anos, filho de Alcorano e Alegre Baby (Yagli), de criação e propriedade do Haras Bagé do Sul, conquistou a mais importante vitória de sua campanha.

Enquanto os brasileiros Keep Down e Bobby Q emplacavam forte ritmo, nos dois primeiros postos, José da Silva (nos programas de Cidade Jardim. J. Moura) mantinha Atletico El Culano nas últimas colocações. O alazão somente passou a ganhar posições em meados da reta oposta.

Em corrida de seguidos progressos, Atletico El Culano ingressou na reta final em terceiro. Nos 300 finais, carregou sobre Keep Down, tomando-lhe a ponta e passando a aparar, à distância, os avanços de Olympic Harvard.

Numa vitória irretocável, Atletico El Culano derrotou Olympic Harvard por 4 corpos e ½. O filho de Drosselmeyer do Haras Regina, aliás, já somava 2º e 3º lugares no Ramirez, passando a contar com 3 colocações no páreo. Keep Down (por Amigoni, de criação do Haras Palmerini e propriedade do Stud Nova Glória & Jarussi) foi o terceiro, em excelente corrida.

Nome de destaque incessante, Antonio Luis Cintra tornou-se bicampeão do Ramirez, sendo que, desta feita, o treinador líder do Uruguai emplacou trifeta das suas cocheiras. Atletico El Culano conquistou sua 6ª vitória em 16 corridas. No primeiro êxito clássico, completou a milha e meia no tempo de 2:28.19.

Além de pai e mãe brasileiros, Atletico El Culano descende de linha materna desenvolvida, há mais de meio século, no Brasil. Emocion (ganhadora das versões paulista e carioca do GP Diana) é a sétima mãe de Atletico El Culano, que, portanto, tem seu pedigree enraizado na criação de Roberto e Nelson Seabra. A partir dessa mesma linhagem, aliás (incorporada pelo Haras Guanabara, no Brasil, a partir da excepcional Empeñosa, a oitava mãe de Atletico El Culano), o turfe brasileiro conheceu uma das suas maiores preciosidades: Emerald Hill.

Mais notícias

Nat King Cole dá o tom à Prova Especial Mandaia

Velocista do Haras Phillipson conquistou firme vitória.

Ler na íntegra

Japão: herdeira da genética Mondesir, Danon Fantasy vence G2 em recorde

Uma das líderes japonesas conta com éguas da Fazenda Mondesir na linha baixa.

Ler na íntegra

Leilão da Criação Nacional ABCPCC 2019: avaliação dos reprodutores

Garanhões com produtos inscritos no Leilão da Criação Nacional ABCPCC têm notas divulgadas.

Ler na íntegra